domingo, 23 de junho de 2024

23.06.2024🙏Mensagem de Nossa Senhora Rainha e Mensageira da Paz a Marcos Tadeu nas Aparições de Jacareí


 

23 de junho - Dia de São José Cafasso

São José Cafasso
1811-1860

José Cafasso nasceu em Castelnuovo d'Asti, em 1811, quatro anos antes do conterrâneo João Bosco, o Apóstolo dos Jovens e também santo da Igreja. Ambos trabalharam, na mesma época, em favor do povo e dos menos favorecidos, material e espiritualmente. 

Mas enquanto João Bosco era eloqüente com os estudantes, um verdadeiro farol a iluminar os caminhos tormentosos da adolescência, Cafasso dedicava-se à contemplação e a ouvir seus fiéis em confissão, o que acabou levando-o aos cárceres e prisões. 
Estava determinado a ouvir os criminosos que queriam se confessar e depois consolá-los mesmo fora da confissão. Era uma figura magra e encurvada devido a um defeito na coluna que o fazia manter-se nessa posição mesmo nas horas em que não estava no confessionário. 

Padre Cafasso freqüentou o curso de teologia de Turim e ordenou-se aos vinte e dois anos. Difícil predizer que seria um grande predicador, mas com sua voz mansa e suave era muito requisitado pelos companheiros de sacerdócio, que procuravam os seus conselhos. 

Formado, passou a dar aulas e acabou tendo João Bosco como aluno. Apoiou Bosco em todas as suas empreitadas, inclusive quando lotou a escola de jovens pobres de toda a região que não tinham dinheiro para a educação. 

Quando Bosco retirou a criançada e a levou para sua própria casa, em Valdocco, foi a ajuda financeira de seu mestre José Cafasso que tornou isso possível. E ele fez mais: pouco antes de morrer, doou tudo o que possuía a João Bosco, para que ele continuasse sua obra no ensino e orientação dos jovens. 


Morreu jovem, com apenas quarenta e nove anos, no dia 23 de junho de 1860. O título de "Padroeiro dos Encarcerados e dos Condenados à Pena Capital" esclarece bem como viveu o seu apostolado. Suas visitas aos cárceres eram o consolo dos presos e sua figura tornou-se a presença mais constante em todos os enforcamentos realizados em sua cidade, Turim. Mas sua ajuda não se limitava aos encarcerados, estendia-se às famílias, ao socorro às esposas e aos filhos para que não se desviassem do caminho de Cristo. 
Padre José Cafasso era sempre o último companheiro de todos os que seriam executados no cadafalso, por isso ficou conhecido, entre o povo, como o "padre da forca". Em 1947, foi canonizado, e sua veneração litúrgica designada para o dia de seu trânsito.

sábado, 22 de junho de 2024

22.06.2024🙏Mensagem de Nossa Senhora Rainha e Mensageira da Paz a Marcos Tadeu nas Aparições de Jacareí


 

21.06.2024🙏Mensagem de Nossa Senhora Rainha e Mensageira da Paz a Marcos Tadeu nas Aparições de Jacareí


 

22 de junho - Dia de São Tomás More

São Tomás More
1478- 1535


"Ó Deus, Pai de Misericórdia, fazei que eu confirme, com meu testemunho, minha fé em Vós. Que eu dê um testemunho alegre, bem-humorado, simples e firme. Que eu mostre, com meus atos, aquilo que eu professo com minhas palavras. Amém!" ~São Thomas More

Tomás More nasceu em Chelsea, Londres, na Inglaterra, no ano de 1478. Seus pais eram cristãos e educaram os filhos no seguimento de Cristo. Aos treze anos de idade, ele foi trabalhar como mensageiro do arcebispo de Canterbury, que, percebendo a sua brilhante inteligência, o enviou para a Universidade de Oxford. Seu pai, que era um juiz, mandava apenas o dinheiro indispensável para seus gastos. 

S. Tomas MoreAos vinte e dois anos, já era doutor em direto e um brilhante professor. Como não tinha dinheiro, sua diversão era escrever e ler bons livros. Além de intelectual brilhante, tinha uma personalidade muito simpática, um excelente bom humor e uma devoção cristã arrebatadora. Chegou a pensar em ser um religioso, vivendo por quatro anos num mosteiro, mas desistiu. Tentou tornar-se um franciscano, mas sentiu que não era o seu caminho. Então, decidiu pela vocação do matrimônio. Casou-se, teve quatro filhos, foi um excelente esposo e pai, carinhoso e presente. Mas sua vocação ia além, estava na política e literatura. 


Contudo Tomás nunca se afastou dos pobres e necessitados, os quais visitava para melhor atender suas reais necessidades. Sua casa sempre estava repleta de intelectuais e pessoas humildes, preferindo a estes mais que aos ricos, evitando a vida sofisticada e mundana da corte. Sua esposa e seus filhos o amavam e admiravam, pelo caráter e pelo bom humor, que era constante em qualquer situação. A sua contribuição para a literatura universal foi importante e relevante. Escreveu obras famosas, como: "O diálogo do conforto contra as tribulações", um dos mais tradicionais e respeitados livros da literatura britânica. Outros livros famosos são "Utopia" e "Oração para o bom humor". 
Em 1529, Tomás More era o chanceler do Parlamento da Inglaterra e o rei, Henrique VIII. 
No ano seguinte, o rei tentou desfazer seu legítimo matrimônio com a rainha Catarina de Aragão, para unir-se em novo enlace com a cortesã Ana Bolena. Houve uma longa controvérsia a respeito, envolvendo a Igreja, a Inglaterra e boa parte do mundo, que acabou numa grande tragédia. Henrique VIII casou com Ana, contrariando todas as leis da Igreja que se baseiam no Evangelho, que reconhece a indissolubilidade do matrimônio. Para isso usou o Parlamento inglês, que se curvou e publicou o Ato de Supremacia, que proclamava o rei e seus sucessores como chefes temporais da Igreja da Inglaterra. 

A seguir, o rei mandou prender e matar seus opositores. Entre eles estavam o chanceler Tomás More e o bispo católico João Fisher, as figuras mais influentes da corte. Os dois foram decapitados: o primeiro foi João, em 22 de junho de 1535, e duas semanas depois foi a vez de Tomás, que não aceitou o pedido de sua família para renegar a religião católica, sua fé e, ainda, fugir da Inglaterra. 

Ambos foram mártires na Inglaterra, os quais, com o testemunho cristão, combateram a favor da unidade da Igreja Católica Apostólica Romana, num tempo de violência e paixão. Suas lembranças continuam vivas em verso e prosa, nos teatros e nos cinemas. Seus exemplos são reverenciados pela Igreja, pois eles foram canonizados na mesma cerimônia pelo papa Pio XI, em 1935, que indicou o dia 22 de junho para a festa de ambos. 

São Tomás More deixou registrada a sua irreverência àquela farsa real por meio da declaração pública que pronunciou antes de morrer: "Sedes minhas testemunhas de que eu morro na fé e pela fé da Igreja de Roma e morro fiel servidor de Deus e do rei, mas primeiro de Deus. Rogai a Deus a fim de que ilumine o rei e o aconselhe". O papa João Paulo II, no ano 2000, declarou são Tomás More Padroeiro dos Políticos.

"Esta harmonia do natural com o sobrenatural é talvez o elemento que melhor define a personalidade do grande estadista inglês: viveu a sua intensa vida pública com humildade simples, caracterizada pelo proverbial bom humor que sempre manteve, mesmo na iminência da morte.

Esta foi a meta a que o levou a sua paixão pela verdade. O homem não pode separar-se de Deus, nem a política da moral: eis a luz que iluminou a sua consciência. Como disse uma vez
: "O homem é criatura de Deus, e por isso os direitos humanos têm a sua origem n'Ele, baseiam-se no desígnio da criação e entram no plano da Redenção. Poder-se-ia dizer, com uma expressão audaz, que os direitos do homem são também direitos de Deus(Discurso, 7 de abril de 1998).

É precisamente na defesa dos direitos da consciência que brilha com luz mais intensa o exemplo de Tomás Moro. Pode-se dizer que viveu de modo singular o valor de uma consciência moral que é "testemunho do próprio Deus, cuja voz e juízo penetram no íntimo do homem até às raízes da sua alma(Carta enc. Veritatis splendor, 58)embora, no âmbito da acção contra os hereges, tenha sofrido dos limites da cultura de então."

A iniciativa partiu de vários Chefes de Estado e contou também com o apoio do então Primeiro-Ministro português, António Guterres.

Lord Alton, um ilustre parlamentar britânico, declarou na época que: "com o passar do tempo os apelos de Thomas More tornam-se mais oportunos e significativos. Ele é particularmente forte como o símbolo do que Sua Santidade, João Paulo II, chamou "Unidade de Vida" e, noutra frase, o Santo Padre diz-nos para sermos sinais de contradição".

Na opinião do parlamentar inglês, Thomas More "não quebrou a ligação entre o público e o privado. Mas, no nosso tempo, a vida política é com frequência marcada pelo proveito pessoal e vantagens. Os que nela participam defendem a sua carreira em vez de causas. A política para Thomas More nunca foi um assunto para tirar vantagens pessoais ou para acumular poder pessoal. Pelo contrário, foi enraizada no seu profundo desejo de servir".

Reflexão/Oração escrita pelo santo quando prisioneiro na Torre de Londres*:

Dá-me a tua graça, Senhor.

Que eu não dê valor nenhum às coisas do mundo
E fixe apenas em Ti meu pensamento,
Sem dar ouvidos às vozes mutáveis dos homens.
Que eu me satisfaça com minha solidão
E não deseje companhias terrenas.
Que pouco a pouco me desapegue completamente do mundo
E desate dos cuidados do mundo todo e qualquer pensamento.
Que nem as fantasias do mundo possam dar-me prazer.
Que pense em Deus com alegria,
E com dor peça a sua ajuda.
Que em Deus eu procure meu conforto e meu apoio,
E que todos os meus esforços sejam dirigidos ao seu Amor.
Que eu reconheça minha pouca valia e mesquinhez,
E docilmente me humilhe sob a poderosa mão de Deus.
Que me arrependa dos pecados cometidos
E acolha docilmente a adversidade para expiá-los.
Que aceite sofrer aqui meu Purgatório,
Encontrando contentamento nas aflições.
Que eu caminhe pela via estreita que conduz à vida
E carregue a cruz com Cristo.
Que eu não esqueça as coisas supremas
E tenha sempre diante dos olhos a minha morte,
Que sempre está ali ao lado.
Que pense na morte com familiaridade.
Que tenha diante dos olhos e da mente o eterno fogo do Inferno.
Que peça perdão antes da vinda do divino Juiz.
Que pense incessantemente na Paixão que Cristo sofreu por mim.
Que incessantemente lhe agradeça seus benefícios.
Que recupere o tempo perdido
E me abstenha de palavras vãs
E fuja das risadas fúteis e das alegrias tolas.
Que do lazer não necessário eu me afaste para sempre,
Assim como das riquezas terrenas, dos amigos, da liberdade, da vida, de tudo.
Que eu pense que meus maiores inimigos são meus melhores amigos.
Os irmãos de José não poderiam ter-lhe feito, com o amor e a bondade,
Tão grande bem como aquele que lhe fizeram com a hostilidade e a inveja.

Estas reflexões deveriam ser mais estimadas e apreciadas do que todos os tesouros de todos os príncipes cristãos e pagãos que fossem reunidos e sintetizados num feixe só.

Rezar: Pai Nosso ~ Ave Maria ~ Credo

Santíssima Trindade, Pai, Filho e Espírito Santo Deus onipotente em três Pessoas iguais e coeternas ─ tem misericórdia de mim, que do fundo de minha miséria e insignificância pecadora reconheço humildemente, perante tua Majestade, ter levado minha vida no pecado, desde a infância até hoje.

(Na infância, neste e naquele ponto. Depois da infância, neste e naquele ponto. E assim por diante, em todas as idades posteriores).

Agora, Senhor bom e misericordioso, que me deste a graça de conhecer meus pecados, concede-me também a graça de arrepender-me, não só de palavra, mas de coração, através da dor de uma amarga contrição, e afastar-me deles para sempre.

E perdoa-me também as culpas que minha mente, ofuscada pelos interesses terrenos, por más inclinações e maus hábitos, por minha insuficiência, é incapaz de reconhecer como pecados. Ilumina meu coração, Senhor misericordioso, e dá-me a graça da cognição e da sabedoria. Perdoa-me aqueles pecados que esqueci por negligência, e traze-os à minha mente a fim de que possa claramente reconhecê-los.

Deus glorioso fazei que por tua graça, de ora em diante não mais dê valor às coisas terrenas e ponha e fixe em Ti meu coração, de modo a poder dizer com o Apóstolo São Paulo: Mundus mihi crucifixus est et ego mundo. Mihi vivere Christus est, et mori lucrum. Cupio dissolvi et esse cum Christo.

*"Orações da Torre", apud "Humanidades" – Universidade de Brasília, janeiro/março 1983, vol. 1, nº 2, pp. 63 ss

Orações pela canonização dos então beatos Morus e Fisher.

QUE SÃO TOMÁS MORO, NO DIA DE HOJE E EM TODOS OS OUTROS DIAS, ILUMINE A CABEÇA E A ALMA DOS POLÍTICOS E GOVERNANTES. JUNTO COM SÃO JOÃO FISCHER, INTERCEDA JUNTO A SANTÍSSIMA TRINDADE  PARA QUE OS POLÍTICOS E GOVERNANTES TENHAM A OBRIGAÇÃO MORAL E ESPIRITUAL EM EXERCER O PODER DE MANEIRA DIGNA, COMO NOS ENSINOU O MESTRE JESUS. QUE A CONSCIÊNCIA ASSIM ILUMINADA OS GUIE.

QUE AS AÇÕES, ATOS, ATITUDES DOS POLÍTICOS E GOVERNANTES SEJAM AQUELAS PELAS QUAIS ESPERA QUEM LHES CONFIA O PODER ATRAVÉS VOTO, QUE A JUSTIÇA SOCIAL, A FRATERNIDADE E A LIBERDADE LHES SIRVAM DE NORTE. QUE ENTENDAM A CORRUPÇÃO COMO FERRAMENTA MALIGNA, PERVERSA, INSUSTENTÁVEL, DESTRUTIVA E ANTI-DEMOCRÁTICA, AFASTANDO DESTA MANEIRA AS TREVAS DO MEIO POLÍTICO.

SE TODO PODER EMANA DE DEUS E EM NOME DE DEUS DEVE SER EXERCIDO, DA MESMA FORMA OS POLÍTICOS ENTENDAM QUE O PODER QUE LHES É CONFIADO, ATRAVÉS DO VOTO, SAGRADO, QUE EMANA DO POVO E CONFIA UM PODER QUE EM NOME DO POVO DEVE SER EXERCIDO. EM NOME DA ÉTICA, EM NOME DE DEUS, ARCANJOS, ANJOS E TODOS OS SANTOS, ASSIM ESPERO E QUE ASSIM SEJA!

22 de junho - Dia de São Paulino de Nola

355-431 
Paulino nasceu no ano de 355, na cidade de Bordeaux, na França. Seu pai era um alto funcionário imperial e toda a família ocupava posição de destaque na economia e na corte. 

Antes de tornar-se religioso, o próprio Paulino foi cônsul e substituiu o governador da Campânia. Nessa posição, manteve contato com o bispo Ambrósio, de Milão, bem como com o jovem Agostinho, que se tornara bispo de Hipona, os quais o encaminharam à conversão. 

Assim, aos vinte e cinco anos de idade Paulino foi batizado. 
Um ano antes tinha se casado com Terásia, uma cristã espanhola que também o influenciou a aprofundar-se nos ensinamentos do Evangelho. Quando perderam, ainda criança, o único filho, Celso, os dois resolveram abandonar de vez a vida social e abraçar a vida monástica. De comum acordo, dividiram as grandes riquezas que possuíam com os pobres e as obras de caridade voltadas para o atendimento de doentes e desamparados e se dirigiram para a Catalunha, na Espanha. 

Pouco tempo depois, Paulino, que se tornara conhecido e estimado por todo o povo, encaminhou ao bispo um pedido para que este o ordenasse sacerdote. O que aconteceu, além de ser convidado a participar do clero local ou, se preferisse, ingressar no de Milão, mas recusou a ambos. Queria, de verdade, uma vida de monge recluso, por isso mudou-se para a Campânia, onde a família ainda tinha como propriedade o túmulo de um mártir, são Félix. Paulino começou a construir ali um santuário para o santo, e ao mesmo tempo fez levantar uma hospedaria para os peregrinos pobres. 
Em seguida, transformou um dos andares em mosteiro e deu início a uma comunidade religiosa formada por ele, a esposa e alguns amigos. A principal característica desses monges era a comunicação feita somente por meio de correspondência escrita. Foram cinqüenta e uma cartas dirigidas aos amigos e personalidades do mundo cristão, entre eles Agostinho, o bispo de Hipona. 

Paulino revelou-se um grande poeta, escritor e pregador, foi uma figura tão brilhante quanto humilde. Entretanto a vida calma que almejara quando abdicou de sua condição de herdeiro político de bons cargos no Império Romano para levar uma vida pobre em dinheiro e poder, mas rica em fé e dignidade, terminaria em 409. 

Na ocasião, foi eleito e consagrado bispo de Nola, diocese de Nápoles, cargo que ocupou até morrer no ano 431, um ano após a morte do amigo e companheiro Agostinho, hoje também santo e doutor da Igreja.

22 de junho - Dia de Santo Albano

Século III 

Albano é o primeiro mártir cristão da Inglaterra, onde prestou serviço no exército romano, como soldado. Albano, cuja origem talvez fosse romana, residia em Verulamium, a cidade-fortaleza construída pelos romanos a sudeste da ilha britânica, perto do rio Ver. Sendo um pagão, não tinha nada a temer quando chegou à ilha a perseguição anticristã, possivelmente a decretada pelo imperador Sétimo Severo e não a do seu sucessor Diocleciano, como alguns historiadores acreditam. 

Albano, certo dia, viu chegar em sua casa um daqueles homens cristãos perseguidos. Ele o acolheu e escondeu. Observou que o homem estava em estado de prece contínua, em vigília noite e dia. Então, começaram a conversar e Albano conheceu a verdade da fé cristã. Tocado pela graça de Deus, converteu-se. Tornou-se um cristão, justamente naquele momento de risco de morte tão sério. 

Dias depois, alguns soldados foram à casa de Albano fazer uma rigorosa busca, porque souberam que ele escondia um cristão. Quando chegaram, o santo mártir se apresentou vestindo as roupas do cristão procurado e disse: "Aquele que vocês procuram sou eu". Assim, foi levado, amarrado, perante o juiz. 

O juiz ordenou que Albano fosse cruelmente torturado. E ele tudo suportou, paciente e alegremente, por nosso Redentor. Quando o juiz percebeu que ele não abandonaria sua fé cristã, decretou sua morte por decapitação. Ao ser levado para a execução, Albano converteu seu carrasco, que posteriormente também foi executado. O mártir Albano morreu no dia 22 de junho. 

Quando as perseguições aos cristãos terminaram, no lugar de seu martírio foi erguido um monumento para sua sepultura, o qual se tornou um lugar de muitas peregrinações nos séculos seguintes, até mesmo aquela empreendida por são Germano, que levou para a França um pouco da terra da sepultura do venerado mártir Albano, em 429. Assim, o povo francês passou a conhecer e a venerar este mártir. 

Ainda no século V, com a saída dos romanos, a ilha britânica sofreu a invasão das tribos germânicas, que depois foram evangelizadas e passaram a propagar o culto do admirável mártir Albano por toda a Alemanha. O papa Gregório Magno, entre os anos de 590 e 604, concedeu a autorização para o culto e declarou Albano santo e mártir pelo testemunho da fé em Cristo. 
No lugar onde foi martirizado, formou-se a cidade que hoje leva o seu nome: Saint Albans, ao norte da área metropolitana de Londres, onde se encontra a esplêndida catedral de Santo Albano. A Igreja Católica festeja-o no dia 22 de junho, mas em algumas regiões é homenageado no dia 17, isso porque um antigo copista cometeu um erro e trocou o numero romano XXII por XVII.

22 de junho - Dia de São João Fisher


São João Fisher
1469-1535

João Fisher nasceu em Beverley, na cidade de Yorkshire, na Inglaterra, no ano de 1469. Órfão de pai ainda pequeno, aos quatorze anos era o mais destacado estudante do Colégio São Miguel. Quando completou vinte anos, era professor daquele colégio. Em seguida, ingressou na famosa Universidade de Cambridge. Dois anos depois, recebeu o diploma de doutor com louvor, foi ordenado sacerdote e nomeado vice-reitor da referida universidade. 

Quando a rainha Margareth, viúva pela terceira vez, decidiu deixar a corte e ingressar num mosteiro, foi ele que escolheu para ser seu diretor espiritual. Distribuiu sua fortuna entre várias instituições, destinando grande parte à Universidade de Cambridge. Na mesma ocasião, João Fisher era eleito chanceler da universidade, cargo que manteve até morrer. 

Aos trinta e cinco anos, foi eleito bispo de Rochester, dedicando-se muito à função. Distribuía esmolas com generosidade e as portas de sua casa estavam sempre abertas para os visitantes, peregrinos e necessitados. Mesmo sendo bispo e chanceler da universidade, levava uma vida tão austera como a de um monge. 

Apesar de todo o seu trabalho, estudava muito e escrevia livros. Seus discursos fúnebres, da morte do rei Henrique VII e da própria rainha Margareth, tornaram-se obras famosas. Quando Martinho Lutero começou a difundir sua Reforma, o bispo Fisher combateu os erros da nova doutrina, escrevendo quatro livros, que o tornaram famoso em todo o mundo cristão. 
Em 1535, o rei Henrique VIII desejou divorciar-se de sua legítima esposa para casar-se com a cortesã Ana Bolena. O bispo João Fisher foi o primeiro a posicionar-se contra aquele escândalo, embora muitos outros ilustres personagens da corte declarassem, apenas para agradar o rei, que o divórcio poderia ser feito. Ele não; mesmo sabendo que seria condenado à morte, declarava a todos que: "O matrimônio católico é indissolúvel e o divórcio não será possível para um matrimônio católico que não se tenha anulado". 

Entretanto o ardiloso rei Henrique VIII conseguiu que o Parlamento inglês o declarasse chefe supremo da Igreja na Inglaterra, em substituição ao papa da Igreja Católica, com a aprovação de todos os que desejavam conservar seus altos postos no governo. Porém João Fisher declarou no Parlamento que: "Querer substituir o papa de Roma pelo rei da Inglaterra, como chefe de nossa religião, é como gritar um 'morra' à Igreja Católica", e isto seria um erro absurdo. 

Os inimigos o ameaçavam, com atentados e calúnias. Como não conseguiram que o bispo deixasse de declarar sua fé católica, foi preso na Torre de Londres. Tinha sessenta e seis anos, porém os muitos anos de penitências, seus alunos, e o excessivo trabalho pastoral faziam-no aparentar oitenta. Ainda estava preso quando foi nomeado cardeal pelo papa Paulo III. Ao ser informado, o rei exclamou: "Enviaram-lhe o chapéu de cardeal, porém não poderá colocá-lo, porque eu lhe mandarei cortar a cabeça". E assim o fez. 

Orações pela canonização dos então beatos Morus e Fisher.A sentença de morte foi comunicada a João Fisher, que foi executado no dia 22 de junho se 1535. Antes de ser decapitado, ele declarou à multidão presente que morria por defender a santa Igreja Católica, fundada por Jesus Cristo, e o sumo pontífice de Roma. Em seguida, os carrascos cumpriram a sentença. 
Alguns dias depois, seu amigo Tomás More, brilhante figura da história da humanidade e da Igreja, também saía da Torre para morrer como ele, pela mesma causa. Em 1935 ambos foram canonizados pelo papa Pio XI, que indicou o dia 22 de junho para serem venerados.

sexta-feira, 21 de junho de 2024

20.06.2024🙏Mensagem de Nossa Senhora Rainha e Mensageira da Paz a Marcos Tadeu nas Aparições de Jacareí


 

21 de junho - Dia de São Luís Gonzaga

JACAREÍ, 14 DE ABRIL DE 2013 
MENSAGEM DE NOSSA SENHORA E SÃO LUIZ GONZAGA

(Marcos:) “Sim, amada Senhora, fico contente que a Senhora tenha ficado feliz pela reapresentação dele hoje Aqui. Espero ter consolado o vosso coração! (pausa) Sim... Sim... Como vós já bem sabeis estou na metade dele, espero terminá-lo para as próximas semanas e já logo em seguida começarei aquele que vai tirar tantas espadas do vosso coração. (pausa) Sim... Sim... (pausa) Entendi amada Senhora. Farei como vós quiserdes.”

MENSAGEM DE MARIA SANTÍSSIMA

“Amados filhos Meus, hoje, Eu vos chamo novamente a caminhardes pela estrada do verdadeiro amor, depondo fora dos corações tudo aquilo que se opõe ao amor divino. 

O amor em pura transformação só viverá em vós quando o amor desordenado do mundo, de vós mesmos, das criaturas, sair fora dele, só então, ele terá espaço propício em vossos corações, para ali entrar, fazer morada e crescer em vós. O amor em pura transformação procura almas completamente mortas para si mesmas, almas esvaziadas de si, esquecidas de si mesmas, abnegadas, ao ponto de permitirem completamente que Ele faça nela tudo o que quiser sem colocar nenhuma resistência. 

O amor em pura transformação que é o próprio Espírito Santo, só entrará nas vossas almas quando a vossa vontade morrer e então fordes completamente dóceis à vontade Dele. Assim, o Espírito Santo habitará em vós como em um templo, em vós espalhará os Seus perfumes mais suaves do que nardo (bálsamo) puro, derramará azeite, óleo nas vossas almas, mais puro e suave que o da oliveira, curando em vossas almas todas as feridas espirituais, todas as chagas que o pecado provocou em vós e desfigurou a beleza das vossas almas. Então, o Espírito Santo restituirá às vossas almas aquela beleza, aquela formosura que tinha ao ser criada por Deus e então a vossa beleza encantará os Seus olhos divinos e Ele se comprazerá em vós e viverá convosco. 

O amor em pura transformação só habitará em vós quando todo o amor desordenado de vós mesmos sair e der lugar a Ele, esse amor em pura transformação repousa nas almas puras, nas almas pacíficas e mansas, nas almas que não tem vaidade, naquelas que não se deixam arrastar pela cobiça dos olhos, pela soberba da vida, nem pela concupiscência da carne, como o orvalho que desce sobre os lírios da manhã, assim Ele também desce e repousa sobre as almas puras. Vós deveis ser estas almas, respondendo sim a tudo quanto ao longo dos anos Eu Aqui vos ensinei e pedi para que as vossas almas possam abrir-se como lírios ao orvalho divino do Espírito Santo e as vossas almas possam então, crescer na santidade que Ele deseja e que Ele espera de vós. 

Eu Sou a Esposa do Amor puro em pura transformação, Sou a Esposa Castíssima do Espírito Santo e somente nas almas nas quais Eu vivo, nas quais Eu reino, nas quais Eu repouso como Rainha e Senhora absoluta, somente nessas almas é que o Espírito Santo desce como um orvalho suavíssimo, como um refrigério dulcíssimo, para nessas almas viver, habitar e com elas descansar para sempre. Portanto, toda a alma que quiser receber a visita do Divino Espírito, deve primeiro Me conhecer, Me amar, Me honrar, como diz o Quarto Mandamento de Deus: honrar pai e mãe. A alma que Me honrar honrará o Espírito Santo e o Espírito Santo virá a Ela e nela habitará, aquela que Me ofender e que Me insultar ofenderá o próprio Espírito Santo e Ele não só não virá a ela como se estiver nela se retirará e a amaldiçoará pelos séculos dos séculos. 

Vinde, pois, Meus filhos, deixai-vos verdadeiramente, possuir por Mim, educar por Mim, formar por Mim no caminho da santidade, pois assim fazendo vos prepararei como uma morada bela e perfumada, para que o Meu Esposo Divinal venha do Céu e habite na vossa alma. Rezai o Santo Rosário todos os dias, com Ele vos purifico, vos embelezo, vos ilumino, vos perfumo sempre mais para vos apresentar verdadeiramente belos, cândidos, inocentes e luminosos para que o Espírito Santo se agrade vós e venha viver em vós. 

Continuai com a Hora da Paz e todas as Horas de Oração que Eu vos dei Aqui, quem ama a Hora da Paz a Mim ama, quem despreza a Hora da Paz a Mim despreza, por isso, rezai estas orações de modo que Eu possa estreitar ainda mais os laços místicos que unem as vossas almas com o Meu Coração e possa desta forma apressar a segunda descida histórica do Meu Esposo Divinal, o Espírito Santo, sobre o mundo inteiro e sobre as vossas almas. 

Aqui, Neste lugar, na pessoa, no trabalho, na obra do Meu filhinho Marcos Sou profundamente glorificada, Sou completamente consolada e perfeitamente amada. Em cada obra que sai do coração e das Mãos desse Meu filho, o Meu esplendor, a Minha glória brilha para todos os Meus filhos, para que todos eles vendo a Minha luz possa sair das trevas do pecado e encontra-Me e Comigo encontrar o Deus da salvação e da paz. No trabalho e na obra do Meu filhinho Marcos, Eu reflito a Minha grande luz que se tornará cada vez mais intensa quanto mais densas forem as trevas a encobrirem todas as coisas. Verdadeiramente Aqui neste Meu filho Sou exaltada, Sou glorificada e os Meus frutos podem ser vistos e saboreados nos frutos que ele dá abundantemente. Por isso, conforme Eu já disse há pouco tempo nas Minhas Aparições Aqui volto novamente a dizer: Porque o Meu filho Marcos fez o Vídeo da Minha Aparição à Minha filhinha Madre Mariana de Jesus Torres como a Senhora do Bonsucesso e Me fez assim ser conhecida e amada por milhares e milhares dos Meus filhos, Eu prometo, apressar a Hora do Meu Triunfo. Prometo neste ano também realizar prodígios como nunca fiz antes nas vossas vidas, prometo derramar uma maior efusão das Minhas graças, das graças do Espírito Santo, da Minha chama de Amor sobre vós, sobre o Brasil, sobre o mundo inteiro, prometo também, derramar uma abundância especialíssima de graças sobre os Meus filhos que verdadeiramente ajudam o Meu filho Marcos, amam todas as Aparições que Ele coloca em vídeo e oferece para vocês e aqueles que junto com ele sofrem, trabalham e lutam terão este ano verdadeiramente um dilúvio de novas bênçãos descendo sem cessar do Meu Coração sobre todos, sobre todos eles, sobre todos estes Meus filhos. 

Quando uma alma se eleva, eleva o mundo, quando a alma cresce na santidade diante do Senhor, o Senhor que não se deixa vencer em Misericórdia derrama sobre o mundo inteiro uma chuva de graças e um verdadeiro dilúvio da Sua Divina Misericórdia. Rezai, rezai mais, pois somente pela Oração poderei fazer com que a rosa mística do amor perfeito cresça em vós, produza o suave perfume da santidade e de obras perfeitas e santas para a maior glória da Santíssima Trindade e glória e do Meu Nome que Aqui nestas Aparições, agora, deve refulgir com o brilho muito maior que o de mil sois juntos. 

Avante Meus filhos! Eu estou convosco, nos vossos sofrimentos não temais, non avete paura, porque o Meu Coração Imaculado segue cada passo e conhece cada lágrima que cai dos vossos , olhos. Eu estou convosco, Io sono com voi. Não tenhais medo. 

A todos, neste momento abençoo com amor, de Lourdes, de Quito no Equador e de Jacareí. A paz Meus filhos amados, a paz Marcos, o mais esforçado e dedicado dos Meus filhos.”


MENSAGEM DE SÃO LUIZ GONZAGA

“Amados irmãos Meus, Eu Luiz Gonzaga, exulto de alegria por poder vir dar-vos a Minha primeira Mensagem. Oh, como vos amo! Oh, quanto vos quero bem! Oh, quanto quero ajudar-vos a chegardes à alta santidade para a maior glória de Deus, da Virgem Imaculada e de São José, por isso digo-vos: Renunciai a todo o pecado, porque o pecado mata a vida da graça santificante nas vossas almas. Deplorai o pecado e deixai o pecado de uma vez por todas, para que Satanás não possa ter nenhuma influência sobre vós e para que assim, aumente a influência do Divino Espírito Santo para que com Seus divinos influxos impulsionem sempre mais as vossas almas sempre mais à frente no caminho da santidade. 

Renunciai a todo o pecado, pois o pecado corta o elo divino que vos une ao Senhor, que vos une à Mãe de Deus e com isso, vós perdeis as graças necessárias para a vossa santificação tornando-vos cada vez mais tíbios, lânguidos e cada vez mais obscurecidos pelas trevas do mal. Se renunciardes ao pecado, a vossa alma, bem unida, ligada ao Senhor e à Mãe de Deus receberá Deles os influxos necessários, as graças necessárias para a vossa santificação, e então vos digo: Nem todo o inferno poderá fazer nada contra vós. Se o vosso amor for verdadeiro, se o vosso amor for fiel e puro ainda que tenhais pequenos defeitos na vossa pessoa, isso não vos impedirá de serdes santos, nem mesmo a privação de tantas coisas que amais vos impedirá de serdes santos. 

O amor, o verdadeiro amor dentro de vós será decisivo para a vossa santificação. Não sejais daqueles que coam um mosquito e engolem um camelo, ou seja, que se preocupam com coisas vãs e insignificantes e deixam crescer cada vez mais o pecado na vossa alma. Oh, não! Não vivais em paz com os vossos pecados, pois se isto fizerdes a vossa alma certamente se condenará. Fazei guerra aos vossos defeitos e pecados e junto com a oração crescei cada vez mais em boas obras diante de Deus. Pouco e nada vale rezar, mas na fazer guerra aos próprios defeitos e pecados, pouco e nada vale manter uma aparência exterior de ser servo de Deus, se o interior está completamente carcomido pelo cupim do pecado, especialmente daqueles pecados que vós não mortificais, contra os quais não lutais e que deixais silenciosamente carcomer a vossa alma como um cupim voraz. Oh, não! Extirpai até o mínimo pecado do vosso coração para que então, ele seja belo, puro, santo, íntegro, honesto, verdadeiro servo do Senhor e então a vossa oração será aceita ao Senhor com agrado e prazer. E então Ele realizará nas vossas vidas o Seu plano de amor e até muitas graças que vós lhes pedis na oração. A Oração só é agradável ao Senhor quando acompanhada do sim do coração, do esforço sincero por vencer o pecado, combater os defeitos, de crescer no caminho da santidade. Se pelo menos tiverdes essa intenção pura, este desejo já é o suficiente para que a vossa oração seja acolhida no Céu e realize na vossa vida grandes milagres, grandes graças retumbantes de amor. 

Eu, Luiz, vos peço: Renunciai a todo pecado, pois o pecado é o causador de todos os males, dores, discórdias, guerras, tragédias e infelicidade que existem e acontecem no mundo. Se os homens renunciassem ao pecado eram abençoados por Deus e Deus lhes daria uma vida tão harmoniosa, tão bela e tão pacífica quanto aquela que os primeiros Pais tinham no Paraíso. 

Propagai mais o Santo Rosário, porque o Rosário extirpará as heresias, combaterá os vícios e o pecado, dará às almas a força interior para renunciarem a todo o tipo de pecado e responderem sempre mais sim ao Senhor. Continuai com o Terço das Lágrimas de Sangue, com as Horas de Oração que os Sagrados Corações vos mandaram fazer Aqui, porque com essas orações vossas almas são fortes, os grupos de oração são fortes e através das vossas orações demônio é sempre mais derrotado no mundo. 

Eu, Luiz, prometo rogar por todos vós junto dos Sagrados Corações, para conseguir para vós as graças necessárias para a vossa santificação, mas vós também rezai, muito do que Eu poderei alcançar para vós não depende só da Minha Oração, mas também da vossa, então, juntos rezemos e alcançaremos o milagre da Divina Misericórdia para este mundo decaído no pecado. E então, as famílias, a juventude, a sociedade, a infância, a Igreja que agora está como uma leprosa repleta de chagas, abertas nela pelos seus próprios pastores, os bispos e sacerdotes que acolheram no seu interior: os erros do progressismo, do modernismo, do comunismo, do protestantismo e de tantos males infernais juntos. Com a Nossa Oração alcançaremos o milagre da divina Misericórdia que fará a Igreja e a humanidade golpeadas de morte ressuscitarem para um novo tempo de santidade e de graça que Nós do Céu pedimos todos os dias para vós e tanto queremos trazer para vós. Sobre este Santuário, sobre este Local Sagrado, hoje desce uma abundante chuva de bênçãos dos Sagrados Corações de Jesus, da Mãe de Deus e principalmente de São José, porque hoje Ele olha com agrado, com predileção e com suma alegria para a grande Imagem do Seu Amantíssimo Coração colocada Aqui no pátio deste Santuário. Sim, através desta nova Imagem o Coração de São José multiplicará ainda mais as Suas graças, as Suas bênçãos e converterá muitos corações endurecidos. 

Em verdade Eu digo: Todo aquele que se ajoelhar perante esta Imagem e com o coração sincero suplicar o auxílio de São José, a essa alma, a esse filho será mostrada a estrada segura da santidade e esta alma caminhará com passo firme na estrada da perfeição, pois não somente São José, mas também Eu e todos os Santos do Paraíso pegaremos a mão desta pessoa e conduziremos esta alma seguramente à gloria do Céu. 

A todos vós hoje, abençoo com grande amor e especialmente a ti Marcos, que há tantos anos sei que Me amas, sei que Me rezas e sei que sempre estas Comigo.”

(Marcos:) “Sim... Até breve! Volte logo sim, amado Luiz!

*****************************

São Luís Gonzaga
1568-1591

Luís nasceu no dia 9 de março de 1568, na Itália. Foi o primeiro dos sete filhos de Ferrante Gonzaga, marquês de Castiglione delle Stiviere e sobrinho do duque de Mântua. Seu pai, que servia ao rei da Espanha, sonhava ver seu herdeiro e sucessor ingressar nas fileiras daquele exército. Por isso, desde pequenino, Luís era visto vestido como soldado, marchando atrás do batalhão ao qual seu pai orgulhosamente servia. 

[Estampa de San Luis Gonzaga]

Entretanto, Luís não desejava essa carreira, pois, ainda criança fizera voto de castidade. Quando tinha dez anos, foi enviado a Florença na qualidade de pajem de honra do grão-duque de Toscana. Posteriormente, foi à Espanha, para ser pajem do infante dom Diego, período em que aproveitou para estudar filosofia na universidade de Alcalá de Henares. Com doze anos, recebeu a primeira comunhão diretamente das mãos de Carlos Borromeu, hoje santo da Igreja. 



Desejava ingressar na vida religiosa, mas seu pai demorou cerca de dois anos para convencer-se de sua vocação. Até que consentiu; mas antes de concordar definitivamente, ele enviou Luís às cortes de Ferrara, Parma e Turim, tentando fazer com que o filho se deixasse seduzir pelas honras da nobreza dessas cortes. 



Luís tinha quatorze anos quando venceu as resistências do pai, renunciou ao título a que tinha direito por descendência e à herança da família e entrou para o noviciado romano dos jesuítas, sob a direção de Roberto Belarmino, o qual, depois, também foi canonizado. 



Lá escolheu para si as incumbências mais humildes e o atendimento aos doentes, principalmente durante as epidemias que atingiram Roma, em 1590, esquecendo totalmente suas origens aristocráticas. Consta que, certa vez, Luís carregou nos ombros um moribundo que encontrou no caminho, levando-o ao hospital. Isso fez com que contraísse a peste que assolava a cidade. 

Luís Gonzaga morreu com apenas vinte e três anos, em 21 de junho de 1591. Segundo a tradição, ainda na infância preconizara a data de sua morte, previsão que ninguém considerou por causa de sua pouca idade. Mas ele estava certo. 



O papa Bento XIII, em 1726, canonizou Luís Gonzaga e proclamou-o Padroeiro da Juventude. A igreja de Santo Inácio, em Roma, guarda as suas relíquias, que são veneradas no dia de sua morte. Enquanto a capa que são Luís Gonzaga usava encontra-se na belíssima basílica dedicada a ele, em Castiglione delle Stiviere, sua cidade natal.


Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

A SANTA MEDALHA DA PAZ

A MEDALHA DO AMANTÍSSIMO CORAÇÃO DE SÃO JOSÉ

A MEDALHA DA ROSA MISTICA

LIVROS MISTICA CIDADE DEUS

LIVROS MISTICA CIDADE DEUS
ENTRE EM CONTATO PELOS TELEFONES ACIMA

SANTA BERNADETTE

SANTA BERNADETTE
A vidente de Nossa Senhora de Lourdes

SANTA RITA DE CASCIA - FILME SEDE SANTOS 1

SANTA RITA DE CASCIA - FILME SEDE SANTOS  1
Vida de Santa Rita de Cássia

SANTA AGUEDA - FILME SEDE SANTOS 3

SANTA AGUEDA - FILME SEDE SANTOS 3
Vida de Santa Agatha ou Agueda de Catania

SANTA VERONICA GIULIANI - FILME SEDE SANTOS 2

SANTA VERONICA GIULIANI - FILME SEDE SANTOS 2
Vida de Santa Veronica Giuliani

SANTA GEMMA E SANTA ZITA - FILME SEDE SANTOS 4

SANTA GEMMA E SANTA ZITA - FILME SEDE SANTOS 4
Vida de Santa Gemma

SANTO CURA DAR'S - FILME SEDE SANTOS 5

SANTO CURA DAR'S - FILME SEDE SANTOS 5
Vida de São João Maria Vianey

SANTA TEREZINHA DO MENINO JESUS

SANTA TEREZINHA DO MENINO JESUS
"Não quero ser Santa pela metade, escolho tudo".

SÃO JOÃO BOSCO E DOMINGOS SÁVIO - FILME SEDE SANTOS 7

SÃO JOÃO BOSCO E DOMINGOS SÁVIO - FILME SEDE SANTOS 7
Vida de São João Bosco, São Domingos Sávio e Mama Marguerita(Santa Mãe de São João Bosco)

SÃO FRANCISCO E SANTA CLARA DE ASSIS

SÃO GABRIEL DE NOSSA SENHORA DAS DORES

SÃO GABRIEL DE NOSSA SENHORA DAS DORES

SANTA HELENA

SANTA HELENA
1ª PEREGRINA DO MUNDO

IRMÃ AMÁLIA AGUIRRE

IRMÃ AMÁLIA AGUIRRE
Vidente de Nossa Senhora das Lágrimas

BEATA ALEXANDRINA

BEATA LAURA VICUÑA

SANTA LUCIA DE SIRACUSA - FILME SEDE SANTOS 6

SANTA LUCIA DE SIRACUSA - FILME SEDE SANTOS 6
Vida de Santa Luzia de Siracusa

SÃO DOMINGOS SÁVIO

SÃO DOMINGOS SÁVIO
"Antes morrer do que pecar"

SANTA MARIA BERTILLA BOSCARDIN

SANTA MARIA BERTILLA BOSCARDIN

DEFESA DAS APARIÇÕES DE JACAREI

DEFESA ÀS APARIÇÕES DE JACAREÍ


(FEITA POR UM PEREGRINO, AO CONTEMPLAR UM VÍDEO FALANDO MAL DAS MESMAS CITADAS ACIMA, E SOBRE A CARTINHA DO BISPO DA ÉPOCA, ALEGANDO QUE AS APARIÇÕES NÃO ERAM VERDADEIRAS)


NÃO SEI QUEM FEZ MAS PRA MIM ESSA PESSOA MERECIA UMA MEDALHA DE HONRA DE NOSSA SENHORA POR ESTA BELA DEFESA

"Quando você diz que devemos dar ouvidos ao que os padres dizem a respeito das aparições de Jacareí, corre em um ledo engano, pois, a “opinião pessoal” deles é que não pode ser elevado ao nível de “dogma de fé”. As cartas de Dom Nelson são muito citadas pelos que latem que estas Sagradas Aparições são falsas. Portanto, mister se faz alguns esclarecimentos. Há duas cartas oficiais onde este indigitado bispo trata da matéria “aparições”. Uma primeira, publicada em 1996, enquanto o mesmo ainda era bispo de São José dos Campos (diocese a qual pertence Jacareí). Nesta, não há menção alguma ao nome do Profeta Marcos Tadeu Teixeira, muito menos, excomunhão, há somente algumas orientações pastorais. A segunda, publicada em 2007 e republicada em 2011, realmente traz explicitamente o nome do Profeta Marcos Tadeu Teixeira, porém, nesta, a palavra “excomunhão” é sequer mencionada.

Ainda há um probleminha com esta segunda carta. O dito bispo (certamente pela providência de Nossa Senhora) foi transferido para a diocese de Santo André/SP em 2003, e, observem, a segunda carta publicada por ele ocorreu no ano de 2007, quando já havia deixado de ter jurisdição eclesiástica sobre a cidade de Jacareí. Portanto, o mesmo, ao editar esta carta, violou a jurisdição eclesiástica conferida a ele pela Igreja, e, ainda, violentou gravemente a autoridade de Dom Moacir, então, bispo da Diocese de São José dos Campos, que, se quisesse, poderia ter criado o maior caso com isso, pois Dom Nelson desrespeitou frontalmente e atropelou sua autoridade eclesiástica, uma verdadeira afronta. Então eu lhes pergunto, vocês ainda vão dar credibilidade a um documento irregular e eivado de vícios como esse?

Vale lembrar, que não é obrigatório seguir estas cartas circulares dos bispos. Não há heresia nem cisma nisso. Um católico somente pode ser acusado de cismático ou herege se atentar contra os Dogmas de Fé. Que eu saiba, carta circular de bispo não é Dogma de Fé. Como a primeira carta de Dom Nelson não condena as Aparições de Jacareí, e a segunda está irregular, pode-se dizer que não pesa condenação oficial e regular da Igreja sobre estas Santas Aparições. Além do mais, até o presente momento, Dom José Valmor, que atualmente tem jurisdição eclesiástica sobre Jacareí, não fez pronunciamento oficial sobre as mesmas. Documento oficial onde o Profeta Marcos foi excomungado, também é inexistente, portanto, qualquer informação que diga o contrário é fruto de pura “fofoca”.

Ressalto que em Jacareí, realmente, não damos tanta importância aos documentos do Vaticano. O que nós realmente valorizamos é a doutrina que nos foi transmitida pelos santos, como Santo Afonso, São Luiz, Santa Teresa, São João da Cruz, etc... Outro adendo que gostaria de acrescentar, diz respeito ao fato da obrigatoriedade ou não das Sagradas Mensagens Celestiais. A orientação predominante entre os teólogos católicos, de que não é obrigatório seguir as Aparições de Nossa Senhora, se funda em meras opiniões pessoais de alguns clérigos a respeito do assunto. Esta orientação não tem o caráter da infalibilidade papal e muito menos é um Dogma de Fé. Realmente, o catecismo atual traz algo nesse sentido, mas vale lembrar que o mesmo não recebeu o caráter da infalibilidade pelo Concílio Vaticano II. Bem ao contrário do Santo Catecismo do Concílio de Trento. Este sim, recebeu o caráter de infalível. Ocorre que nossa amada Igreja há muito se transviou de uma tradição bíblica milenar, através da qual o “Deus dos Exércitos” sempre manifestou sua vontade ao povo de Israel por meio de suas aparições aos profetas (mesmo fenômeno que ocorre com o, também, profeta Marcos Tadeu, pois os fenômenos miraculosos e de aparições que ocorrem naquele Santuário, são da mesma espécie dos verificados na Sagrada Bíblia).

Ora, nos tempos bíblicos não era através dos fariseus, saduceus, príncipes e doutores da lei (a Igreja oficial da época) que Deus dava as suas diretrizes ao povo eleito, mas sim, através dos profetas, em outras palavras, dos videntes. Nos primórdios do cristianismo, também ocorria assim, pois, a própria origem da nossa amada Igreja se funda nas “aparições” de Jesus aos apóstolos e discípulos. Então, por que esta tradição bíblica foi quebra? Será que é porque as aparições aos profetas cessaram? Errado, pois nos últimos 100 anos ocorreram mais de 1000 aparições de Nossa Senhora, dos santos e anjos, e até de Deus.
A pergunta correta é, por que o clero tenta abafar isso, pois grande parte, senão todas, destas aparições também foram acompanhadas de sinais miraculosos, como, curas inexplicáveis pela ciência, sinais na natureza, etc... Se Deus usava deste expediente nos tempos bíblicos, certamente deveria continuar a usá-lo nos tempos do catolicismo, pois uma grande verdade que a Teologia professa é que Deus é imutável. Não citarei as passagens bíblicas onde Deus manifesta sua vontade através dos videntes/profetas, pois se assim fizesse, teria que citar a Bíblia inteira, pois a própria formação e ensinamentos nela transmitidos se dão por este meio. Gostaria apenas de citar um pequeno exemplo de qual atitude deveremos tomar frente às Aparições de Jacareí, tomando por base a Bíblia. Saulo, quando se dirigia à cidade de Damasco e Jesus lhe “aparece” exclama: “Senhor, que queres que eu faça?” (At 9, 6). Naquela ocasião, Jesus disse a ele para procurar os fariseus e saduceus (a Igreja oficial da época)? Não! O ordenou que entrasse na cidade de Damasco e ali lhe seria dito o que deveria fazer. Beleza. E quem Deus enviou para Saulo? Os fariseus e saduceus (a Igreja oficial da época)? Não! Mas Ananias, um vidente. Como eu sei que Ananias era um vidente? As Sagradas Escrituras nos contam que foi uma aparição de Jesus que disse para ele ir procurar Saulo. É só conferir At 9, 10-16ss.

Outro exemplo foi Judas Iscariotes; este preferiu errar com a Igreja oficial da época (lembra né, fariseus e saduceus) que acertar sem ela. Bom... Errou mesmo! E segundo alguns santos místicos, como Maria de Ágreda, sua alma se encontra no inferno. Assim, a posição teológica defendida pela maioria dos teólogos atuais, de que as aparições não são obrigatórias, falando em termos de estudo teológico da atualidade, é perfeitamente passível de questionamento, e, inclusive, daria uma boa tese de doutoramento. É um posicionamento que pode ser mudado. Não é Dogma de Fé. Gostaria de finalizar este ponto dizendo o seguinte. Jesus tolerou para sempre aquela Igreja oficial da época (o judaísmo) que rejeitou o projeto que suas aparições aos Apóstolos (que também eram videntes) propunha? Claro que não!!! Por causa disso, Deus se retirou do meio daquela Igreja e passou a habitar no meio dos seus videntes, os apóstolos e discípulos, e, assim, surgiu a nossa amada Igreja Católica (Mt 21, 39-45).

Não é objetivo do Profeta Marcos Tadeu, nem de sua Ordem e muito menos de nós, a Milícia da Paz (formada por todos os fiéis seguidores daquele Santuário) provocar um cisma na Igreja. Nós apenas denunciamos os erros (prerrogativa esta, conferida aos leigos pelo próprio Concílio Vaticano II), lutamos para que a devoção a Nossa Senhora, aos santos e anjos seja colocada em seu devido lugar, e que as suas mensagens, e as dos demais santos, e até as de Deus, seja acolhida como nos tempos Bíblicos, pois acreditamos que se isto não for feito, irá se abater gigantescos cataclismos sobre a Terra, de uma tal magnitude que nunca houve, nem jamais haverá. Acreditamos que esta “palavra de Deus” transmitida nas aparições é o caminho e a única forma de salvar o mundo, e qualquer obra, ou pessoa, que ensine ou faça diferente do que elas dizem, é desprezada por nós. O motivo para isto é muito simples. Desde tempos remotos, as Aparições de Nossa Senhora (inclusive as não aprovadas pela Igreja) vêm dizendo o que aconteceria ao mundo se esta “palavra de Deus” não fosse obedecida. Resultado, tudo o que elas disseram, em um passado remoto, está se cumprindo na atualidade. Então, não há outra conclusão a se fazer, a não ser admitir que elas eram verdadeiras, e que o clero errou. Aliás, o histórico de erro do clero é algo realmente interessante. Basta citar a condenação que pesou durante 20 anos sobre as Santas Aparições de Jesus Misericordioso à Santa Faustina, e não foi por um “bispozinho” qualquer. Foi pelo próprio papa da época. Se não fosse a atuação do então Cardeal Karol Józef Wojtyła, futuro Papa João Paulo II, estas aparições estariam condenadas até os tempos atuais, e, certamente, você seria um grande opositor delas, não é? Infelizmente, como atualmente o número de Cardeais, e clérigos em geral, com este nível de espiritualidade é praticamente nulo... tadinha das aparições... snif. Praticamente nenhum deles entende de Teologia Mística, o estudo apropriado para se avaliar as aparições e estudá-las.

Além do mais, as aparições de La Salette, Lourdes e Fátima, para quem conhece mais a fundo sua história, verá que elas na verdade não foram aceitas pelo clero. Muito pelo contrário, este as combateu com todas as suas forças. Na realidade, o que ocorreu, é que os fiéis praticamente as fizeram descer goela abaixo na garganta do clero, de tal modo, que eles não tiveram outra opção a não ser aprová-las. E, mesmo nestas que foram aprovadas, o estrago que o clero fez é algo incomensurável. Não as divulgou como deveria; se o corpo incorrupto de Santa Bernadete estivesse no Santuário de Lourdes iria converter milhões de fiéis, no entanto está praticamente escondido no convento de Nevers; o corpo incorrupto de Santa Jacinta foi escondido dos fiéis; a esmagadora maioria dos vaticanistas da Itália é de acordo que, até hoje, o terceiro segredo de Fátima não foi revelado em sua integralidade; a consagração da Rússia não foi feita como Nossa Senhora pediu até os dias atuais, etc... E isso, só para citar os danos que me vem à mente neste momento.

No Santuário das Aparições de Jacareí, o Profeta Marcos está resgatando tudo aquilo que a Igreja e a sociedade tanto se esforçaram para extinguir, os escapulários, medalhas, mensagens, enfim, a salvação do mundo que Nossa Senhora nos revelou e ofereceu com tanto amor ao longo de suas aparições na história. Sem dúvida, lá está se cumprido a passagem da Escritura na qual se diz: “Por isso, todo escriba instruído nas coisas do Reino dos céus é comparado a um pai de família que tira de seu tesouro coisas novas e velhas...” Mt 13,52 É uma nova aparição que resgata todas, até as mais antigas. Portanto, se ainda quiserem seguir a doutrina da cabeça deste cara de que não precisamos de aparições, o problema é de vocês. Aliás, se formos pensar bem, porquê Deus, Nossa Senhora os anjos e os santos apareceriam, né? Afinal de contas, nosso mundo está uma verdadeira maravilha, não é? Não temos problemas de droga, prostituição, corrupção, degradação moral, depressão, decadência da Igreja, violência, roubos, assassinatos, guerras, miséria..., todos os sacerdotes são verdadeiros Serafins de santidade, enfim, o Vaticano está dando conta do recado... Só não está apresentando um desempenho melhor devido a um “pequeno” probleminha de tráfico de influência entre os altos clérigos, desvio de verbas do banco do Vaticano, looby gay entre os padres, pedofilia generalizada, um papa progressista e comunista..., mas, afinal de contas, são probleminhas fáceis de serem solucionados, né? É... Em um mundo maravilhoso e em ótimo funcionamento como esse, realmente não entendo o motivo de tantas aparições..."