AS APARIÇÕES DE JACAREÍ-SP-BRASIL SAIBA MAIS! @Marcostaddeu Informe-se pelo TEL: (0XX12) 9 9701-2427 e-mail: santuariodejacarei@gmail.com BLOG OFICIAL

quarta-feira, 15 de março de 2017

15 de Março - Dia de Santa Luísa de Marillac

Santa Luísa de Marillac-1591-1660
Fundou a Congregação das
Irmãs Filhas da Caridade

SANTA LUÍSA DE MARILAC - PADROEIRA DO SERVIÇO SOCIAL, ASSISTENTES SOCIAIS, VICENTINOS, VIÚVAS

Santa Luísa de Marillac, Mme. Louise de Marillac Le Gras, (Auvergne, 15 de agosto de 1591 - Paris, 15 de março de 1660).Co-fundadora, com Vicente de Paulo das Filhas da Caridadede São Vicente de Paulo.

Origem e juventude (1591-1613)
Santa Luísa de Marillac (1591-1660) morou toda sua vida em Paris. De uma antiga família de Auvergne mas só enobreceu em 1569 com a pessoa de seu avô Guilherme II de Marillac(1518-1573), ela nasce em 12 de agosto de 1591 em condições misteriosas. 

Num registro feito pelo tabelião três dias depois, Luís 1º de Marillac (1556-1604), cavaleiro, senhor de Ferrières-em-Brie e de Villiers-Adam, comandante de uma companhia de ordenança do rei, dá-lhe uma pensão e nomeia-a sua “filha natural”.

Porém, é possível que ele faça apenas endossar este nascimento, para evitar um escândalo a um de seus irmãos. É sempre ele que, quando Luís de Marillac casa-se, em 15 de janeiro de 1595, provavelmente logo coloca a pequena Luísa numa pensão nomosteiro real de Saint-Louis de Poissy. 

Lá, as dominicanas ensinam à jovem Luísa a conhecer Deus, ler e escrever, pintar, lhe dão uma sólida formação humana, sob a guarda de uma de suas tias, mère Luísa de Marillac, a primeira com este nome (1556-1629). É bem provável que nesta época Luísa conheça a espiritualidade de Catarina de Sena que citará depois em seus escritos espirituais.
Mas, logo, sem dúvida depois da morte de Luís de Marillac (25 de julho de 1604), Luísa é colocada num lar para meninas, em Paris, por Miguel de Marillac (1560-1632), o futuro chanceler da França, que se torna seu tutor.

Lá, Luísa aprende como cuidar de uma casa e beneficia do clima da reforma católica que chamusca a Paris religiosa. Ela frequenta, pois, as capuchinhas do Subúrbio Saint-Honoré, as “filhas da Cruz”, e, pensando se tornar uma delas, fez voto de servir a Deus e seu próximo.
Antigo membro da liga que se tornou mestre dos pedidos, Miguel de Marillac toma então uma parte ativa na fundação do Carmelo reformado na França e freqüenta assiduamente o círculo Acarie.

É lá que ele conhece os Padres de Pierre de Bérulle (1575-1629) e Charles Bochard de Champigny (1568-1624), dito “Honrado de Paris”. Este é provincial dos capuchinhos em 1612, quando, levando em conta a fraca aparência, de Luísa de Marillac a aconselha para não ser capuchinha, assegurando-lhe que Deus tinha um “outro desígnio” sobre ela.
Luísa é logo acompanhada em seu caminho espiritual por Jean-Pierre Camus (1584-1652), bispo de Belley, grande amigo de Francisco de Sales, e sobrinho por aliança de Luís de Marillac. 

Apesar de suas ausências prolongadas, Luísa apegar-se-á muito a este homem de Deus de múltiplas facetas, que terminará sua vida entre os “Incuráveis”.

Entre os numerosos romances piedosos que Monsenhor Camus publica, vários têm por meta “fazer ver o ciúme de Deus pelos justos castigos que Ele faz sentir àqueles que por força ou provação tentam tirar-lhe suas esposas de seus braços”.
Os anos do matrimônio (1613-1625)
Ora, Miguel de Marillac e seu cunhado Octavien II Doni de Attichy (morto em 1614), de origem florentina, vendo em Luísa uma nova oportunidade de se aproximar do poder, decidem casá-la com um secretário dos comandantes da rainha-mãe, Maria de Médicis.

Foi assim que, no dia 5 de fevereiro de 1613, Luísa de Marillac se casa na Igreja de Saint-Gervais com Antônio Le Gras (nascido em 1575 ou 1580), natural de uma velha família de Montferrand que acederá depois à nobreza.

Como este pretende se unir aos nobres Le Gras dos quais ele traz o nome e as armas antes que os de seus antepassados, sua esposa será chamada “mademoiselle”, título então reservado às esposas e às filhas de escudeiros, isto é, de nobres sem títulos.Em outubro, a jovem mulher dá à luz prematuramente ao pequeno Miguel. Mas, a felicidade familiar dos Le Gras é de curta duração; desde 1622, Antônio cai gravemente doente. 

Acreditando que por esta doença Deus a castigava por não ter se doado a Ele como o havia prometido quando mais jovem, Luísa passa, então, por um longo período de depressão e de noite espiritual.
Porém, no dia de Pentecostes de 1623, enquanto Luísa reza na Igreja Saint-Nicolas des Champs, seu espírito é iluminado e suas dúvidas desaparecem num instante. No pergaminho onde ela relata esta “Luz de Pentecostes” e que ela trará sobre si o resto de seus dias, sabemos que naquele dia ela tem a certeza de que seu lugar era à cabeceira de seu marido e que um tempo viria onde ela faria votos, viveria em comunidade, e encontraria um novo acompanhador.

Exatamente, no final de 1624 ou início de 1625, ela encontra-se com Padre Vicente de Paulo(1581-1660) que logo estabelece Confrarias da Caridade no final da pregação de suas missões nas numerosas paróquias dos Gondi e que, com a ajuda destes, vai logo estabelecer a Congregação da Missão, denominada de lazaristas. 

Atacado pela tuberculose, Antônio Le Gras se apaga no dia 21 de dezembro de 1625, deixando a jovem Luísa e Miguel numa certa precariedade econômica. 


Não obstante, Luísa coloca Miguel numa pensão em Saint-Nicolas du Chardonnet.
Primeiros anos sob a direção do Padre Vicente (1625-1633)
De 1625 a 1629, Padre Vicente conseguiu pouco a pouco conduzir a senhorita Le Gras para a salvação de outros em lugar de sua própria devoção ou sua preocupação materna, de forma que, em uma carta de 6 de maio de 1629, ele a torna solenemente sua representante junto as Damas da Caridade. 

Procedentes da nobreza e da burguesia, elas se engajam em dedicar seu tempo para o serviço corporal e espiritual dos pobres, mas algumas enviam suas empregadas ou pedem-lhe para cozinhar ao invés delas mesmas o fazerem.

Mas, a senhorita Le Gras, que chega geralmente carregada de roupas e remédios, reúne estas senhoras, escuta-as e encoraja-as a verem Cristo nos pobres que servem, verifica as contas e forma mestras de Escola para instruir as meninas. 

Daí em diante, a personalidade de Luísa se revela à medida que ela supera suas enfermidades físicas e seus medos para visitar as paróquias a fim de organizar ou reforçar aí as caridades.

Durante este tempo, Miguel de Marillac, nomeado guarda sêlos no dia 1º de junho de 1626, tornou-se chefe do partido religioso depois da morte do cardeal de Bérulle (dia 2 de outubro de 1629), enquanto que seu meio-irmão Luís de Marillac II (1573-1632) foi nomeado o marechal da França em 3 de junho de 1629. Depois do posto de Rochelle (Agosto de 1628 – outubro de 1627), sua oposição às políticas do cardeal de Richelieu é evidente. Esta oposição será a razão de sua queda, por ocasião da famosa jornada des Dupes (11 de outubro de 1630). Desprotegidos, o marechal e o chanceler são respectivamente presos e hipotecadas suas residências. Acusado de desfalques e julgado por um tribunal ligado a Richelieu, o primeiro será decapitado publicamente na praça de Greve no dia 10 de maio de 1632. Fechado na fortaleza de Châteaudun onde ele traduzirá o Livro de Jó e começará um Tratado da vida eterna, o segundo morrerá no dia 7 de agosto de 1632.
Entretanto, no dia 5 de fevereiro de 1630, tendo visitado a caridade de Asnières e preparando-se para ir visitar a de Saint-Cloud, Luísa de Marillac decidiu fazer algo de diferente e celebrar o aniversário de seu matrimônio assistindo a Missa. Recebendo a comunhão, ela faz a experiência do matrimônio místico com Cristo que ela relata logo depois por estas palavras: “parece-me que Nosso Senhor me fazia pensar para recebê-Lo como o esposo de minha alma”. Esta experiência, ela não vai demorar partilhá-la com outros. 

No dia 19 de fevereiro de 1630, Padre Vicente que volta de uma missão em Suresnes, envia-lhe Margarida Naseau, uma jovem vaqueira desta aldeia, que aprendeu a ler para instruir os jovens dos arredores, e que se oferece para o serviço dos pobres. Margarida não temerá colocar a mão na massa.
À partir da fundação das Filhas da Caridade (1633-1660)
Tendo cuidado de doentes da peste, Margarida Naseau morre pouco depois no dia 24 de fevereiro de 1633, mas outras camponesas desejam fazer o mesmo. 


No dia 29 de novembro de 1633,com o consentimento de Padre Vicente, Luísa as reúne em sua casa para formá-las.No dia 25 de março de 1642,Luísa e quatro das primeiras Irmãs fazem votos de se oferecerem totalmente para o serviço de Cristo na pessoa dos pobres. Tal foram ashumildes origens da Companhia das Filhas da Caridade.
Unidos por uma estreita colaboração e uma grande amizade, Luísa e Padre Vicente respondem juntos aos apelos dos mais desprovidos do seu tempo, graças à nova Companhia que eles estabeleceram juntos. 


Educação das crianças abandonadas, socorro às vítimas da guerra dos Trinta Anos e da Fronda, cuidado dos doentes em domicilio ou nos hospitais, serviço dosgalerianos e das pessoas deficientes mentais, instrução das meninas pobres, participação na criação do hospital do Santo Nome de Jesus e do hospital geral de Paris, nada pára estas novas Irmãs não enclausuradas, estas moças “ao ar livre” que têm por véu “a santa humildade”, “por mosteiro a casa do doente, por cela um quarto de aluguel, por claustro as ruas da cidade, ou as salas dos hospitais” e por divisa: “A caridade de Jesus Crucificado nos impele”.

Pouco a pouco, senhorita Le Gras envia ou ela mesma instala novas Comunidades em todos os lugares onde a urgência se faz realmente sentir: 


em quase trinta cidades da França, e até na Polônia: Paris, Richelieu, Angers,Sedan, Nanteuil-le-Haudouin, Liancourt,Saint-Denis, Serqueux, Nantes, Fontainebleau, Montreuil/Mer,Chars, Chantilly, Montmirail, Hennebont, Brienne, Étampes,Varsóvia, Bernay, Sainte-Marie-du-Mont, Cahors, Saint-Fargeau, Ussel, Calais, Metz e Narbonne.


Em 1657, Vicente de Paulo diz que Luísa de Marillac está “como morta” depois de mais de vinte anos, mas ela veio a falecer somente no dia 15 de março de 1660, alguns meses antes dele. 

Seu corpo, enterrado em primeiro lugar na Igreja de Saint-Laurent em Paris, descansa hoje na Capela da Casa-Mãe das Filhas da Caridade, no 140 rua do Bac, em Paris.


Luísa de Marillac ébeatificada no dia 9 de maio de 1920 porPapa Bento XV,canonizada no dia 11 de março de 1934 porPio XI e proclamada patrona das Obras Sociais em 1960 pelo bem-aventurado João XXIII. 

Filha ilegítima, esposa experiente, viúva contemplativa e ativa, mãe preocupada e grande mãe, serena, educadora e cuidadosa, assistente social e promotora da Caridade, ela continua inspirando muitos homens e mulheres, dentre os quais 21. 000 Filhas da Caridade, freqüentemente chamadas Irmãs de São Vicente de Paulo, que servem no mundo inteiro, e seus numerosos colaboradores.


Ladainha de Santa Luisa de Marillac.

Senhor, tende piedade de nós,
Jesus Cristo, tende piedade de nós,
Senhor, tende piedade de nós,
Jesus Cristo, ouvi-nos,
Jesus Cristo, atendei-nos.

Pai Celestial, que sois Deus, tende piedade de nós.
Filho Redentor do mundo, que sois Deus, tende piedade de nós.
Espírito Santo, que sois Deus, tende piedade de nós.
Santíssima Trindade, que sois um só Deus, tende piedade de nós.
Santa Maria, rogai por nós.
São Vicente de Paulo, rogai por nós.

Santa Luiza, rogai por nós.
Santa Luisa, gloriosa Fundadora das Irmãs de Caridade.
Santa Luisa, mãe nossa dulcíssima,
Santa Luisa, de Deus muito amada,
Santa Luisa, abrasada no amor de Deus.


Santa Luisa, amantíssima de Jesus Sacramentado.
Santa Luisa, devotíssima de Jesus e Maria,
Santa Luisa, animada de grande amor aos pobres,
Santa Luisa, serva infatigável dos pobres.
Santa Luisa, mulher forte, felizmente encontrada,
Santa Luisa, de admirável coragem na enfermidade.

Santa Luísa, constantíssima nos jejuns e orações.
Santa Luísa, dotada de inviolável obediência,
Santa Luisa, resplandecente na pobreza e humildade,
Santa Luisa, mestra formada no silêncio do retiro,
Santa Luisa, de mãos inocentes e coração puro,
Santa Luisa, modelo de todas as virtudes,
Santa Luísa, admiravelmente ornada de boas obras,
Santa Luísa, querida de Deus e dos homens,
Santa Luísa, coroada de honra e glória,
Cordeiro de deus, que tirais os pecados do mundo,
perdoai-nos Senhor,

Cordeiro de Deus, que tirais os pecados do mundo,
ouvi-nos Senhor,

Cordeiro de Deus, que tirais os pecados do mundo,
tende piedade de nós.



Ó PAI, 
COMO ENSINASTES À VOSSA IGREJA QUE TODOS OS MANDAMENTOS SE RESUMEM EM AMAR A DEUS E AO PRÓXIMO, CONCEDEI-NOS, 
A EXEMPLO DE SANTA LUÍSA DE MARILAC,
PRATICAR OBRAS DE CARIDADE, 
PARA SERMOS CONTADOS ENTRE OS NBENDITOS DO VOSSO REINO.
POR NOSSO SENHOR JESUS CRISTO,
VOSSO FILHO, 
NA UNIDADE DO ESPÍRITO SANTO.
AMÉM


SÃO VICENTE DE PAULO E AS FILHAS DA CARIDADE


AS FILHAS DA CARIDADE
SOCORRENDO OS POBRES

SÃO VICENTE E SANTA LUÍSA,
ORAI PELOS MEMBROS DA IGREJA
PARA QUE SEJAM TESTEMUNHAS DO AMOR DE CRISTO NO MUNDO.


ORAI POR NÓS, SANTA LUÍSA DE MARILAC,
PARA SERMOS FIÉIS AO CRISTO HUMILDE E POBRE!



FONTES:
http://pt.wikipedia.org/wiki/Lu%C3%ADsa_de_Marillac
http://www.cademeusanto.com.br/santa_luiza_de_marillac.htm
http://afamiliacatolicaoracoes.blogspot.com/2009/03/ladainha-de-santa-luisa-de-marillac.html




DEFESA DAS APARIÇÕES DE JACAREI

DEFESA ÀS APARIÇÕES DE JACAREÍ


(FEITA POR UM PEREGRINO, AO CONTEMPLAR UM VÍDEO FALANDO MAL DAS MESMAS CITADAS ACIMA, E SOBRE A CARTINHA DO BISPO DA ÉPOCA, ALEGANDO QUE AS APARIÇÕES NÃO ERAM VERDADEIRAS)


NÃO SEI QUEM FEZ MAS PRA MIM ESSA PESSOA MERECIA UMA MEDALHA DE HONRA DE NOSSA SENHORA POR ESTA BELA DEFESA

"Quando você diz que devemos dar ouvidos ao que os padres dizem a respeito das aparições de Jacareí, corre em um ledo engano, pois, a “opinião pessoal” deles é que não pode ser elevado ao nível de “dogma de fé”. As cartas de Dom Nelson são muito citadas pelos que latem que estas Sagradas Aparições são falsas. Portanto, mister se faz alguns esclarecimentos. Há duas cartas oficiais onde este indigitado bispo trata da matéria “aparições”. Uma primeira, publicada em 1996, enquanto o mesmo ainda era bispo de São José dos Campos (diocese a qual pertence Jacareí). Nesta, não há menção alguma ao nome do Profeta Marcos Tadeu Teixeira, muito menos, excomunhão, há somente algumas orientações pastorais. A segunda, publicada em 2007 e republicada em 2011, realmente traz explicitamente o nome do Profeta Marcos Tadeu Teixeira, porém, nesta, a palavra “excomunhão” é sequer mencionada.

Ainda há um probleminha com esta segunda carta. O dito bispo (certamente pela providência de Nossa Senhora) foi transferido para a diocese de Santo André/SP em 2003, e, observem, a segunda carta publicada por ele ocorreu no ano de 2007, quando já havia deixado de ter jurisdição eclesiástica sobre a cidade de Jacareí. Portanto, o mesmo, ao editar esta carta, violou a jurisdição eclesiástica conferida a ele pela Igreja, e, ainda, violentou gravemente a autoridade de Dom Moacir, então, bispo da Diocese de São José dos Campos, que, se quisesse, poderia ter criado o maior caso com isso, pois Dom Nelson desrespeitou frontalmente e atropelou sua autoridade eclesiástica, uma verdadeira afronta. Então eu lhes pergunto, vocês ainda vão dar credibilidade a um documento irregular e eivado de vícios como esse?

Vale lembrar, que não é obrigatório seguir estas cartas circulares dos bispos. Não há heresia nem cisma nisso. Um católico somente pode ser acusado de cismático ou herege se atentar contra os Dogmas de Fé. Que eu saiba, carta circular de bispo não é Dogma de Fé. Como a primeira carta de Dom Nelson não condena as Aparições de Jacareí, e a segunda está irregular, pode-se dizer que não pesa condenação oficial e regular da Igreja sobre estas Santas Aparições. Além do mais, até o presente momento, Dom José Valmor, que atualmente tem jurisdição eclesiástica sobre Jacareí, não fez pronunciamento oficial sobre as mesmas. Documento oficial onde o Profeta Marcos foi excomungado, também é inexistente, portanto, qualquer informação que diga o contrário é fruto de pura “fofoca”.

Ressalto que em Jacareí, realmente, não damos tanta importância aos documentos do Vaticano. O que nós realmente valorizamos é a doutrina que nos foi transmitida pelos santos, como Santo Afonso, São Luiz, Santa Teresa, São João da Cruz, etc... Outro adendo que gostaria de acrescentar, diz respeito ao fato da obrigatoriedade ou não das Sagradas Mensagens Celestiais. A orientação predominante entre os teólogos católicos, de que não é obrigatório seguir as Aparições de Nossa Senhora, se funda em meras opiniões pessoais de alguns clérigos a respeito do assunto. Esta orientação não tem o caráter da infalibilidade papal e muito menos é um Dogma de Fé. Realmente, o catecismo atual traz algo nesse sentido, mas vale lembrar que o mesmo não recebeu o caráter da infalibilidade pelo Concílio Vaticano II. Bem ao contrário do Santo Catecismo do Concílio de Trento. Este sim, recebeu o caráter de infalível. Ocorre que nossa amada Igreja há muito se transviou de uma tradição bíblica milenar, através da qual o “Deus dos Exércitos” sempre manifestou sua vontade ao povo de Israel por meio de suas aparições aos profetas (mesmo fenômeno que ocorre com o, também, profeta Marcos Tadeu, pois os fenômenos miraculosos e de aparições que ocorrem naquele Santuário, são da mesma espécie dos verificados na Sagrada Bíblia).

Ora, nos tempos bíblicos não era através dos fariseus, saduceus, príncipes e doutores da lei (a Igreja oficial da época) que Deus dava as suas diretrizes ao povo eleito, mas sim, através dos profetas, em outras palavras, dos videntes. Nos primórdios do cristianismo, também ocorria assim, pois, a própria origem da nossa amada Igreja se funda nas “aparições” de Jesus aos apóstolos e discípulos. Então, por que esta tradição bíblica foi quebra? Será que é porque as aparições aos profetas cessaram? Errado, pois nos últimos 100 anos ocorreram mais de 1000 aparições de Nossa Senhora, dos santos e anjos, e até de Deus.
A pergunta correta é, por que o clero tenta abafar isso, pois grande parte, senão todas, destas aparições também foram acompanhadas de sinais miraculosos, como, curas inexplicáveis pela ciência, sinais na natureza, etc... Se Deus usava deste expediente nos tempos bíblicos, certamente deveria continuar a usá-lo nos tempos do catolicismo, pois uma grande verdade que a Teologia professa é que Deus é imutável. Não citarei as passagens bíblicas onde Deus manifesta sua vontade através dos videntes/profetas, pois se assim fizesse, teria que citar a Bíblia inteira, pois a própria formação e ensinamentos nela transmitidos se dão por este meio. Gostaria apenas de citar um pequeno exemplo de qual atitude deveremos tomar frente às Aparições de Jacareí, tomando por base a Bíblia. Saulo, quando se dirigia à cidade de Damasco e Jesus lhe “aparece” exclama: “Senhor, que queres que eu faça?” (At 9, 6). Naquela ocasião, Jesus disse a ele para procurar os fariseus e saduceus (a Igreja oficial da época)? Não! O ordenou que entrasse na cidade de Damasco e ali lhe seria dito o que deveria fazer. Beleza. E quem Deus enviou para Saulo? Os fariseus e saduceus (a Igreja oficial da época)? Não! Mas Ananias, um vidente. Como eu sei que Ananias era um vidente? As Sagradas Escrituras nos contam que foi uma aparição de Jesus que disse para ele ir procurar Saulo. É só conferir At 9, 10-16ss.

Outro exemplo foi Judas Iscariotes; este preferiu errar com a Igreja oficial da época (lembra né, fariseus e saduceus) que acertar sem ela. Bom... Errou mesmo! E segundo alguns santos místicos, como Maria de Ágreda, sua alma se encontra no inferno. Assim, a posição teológica defendida pela maioria dos teólogos atuais, de que as aparições não são obrigatórias, falando em termos de estudo teológico da atualidade, é perfeitamente passível de questionamento, e, inclusive, daria uma boa tese de doutoramento. É um posicionamento que pode ser mudado. Não é Dogma de Fé. Gostaria de finalizar este ponto dizendo o seguinte. Jesus tolerou para sempre aquela Igreja oficial da época (o judaísmo) que rejeitou o projeto que suas aparições aos Apóstolos (que também eram videntes) propunha? Claro que não!!! Por causa disso, Deus se retirou do meio daquela Igreja e passou a habitar no meio dos seus videntes, os apóstolos e discípulos, e, assim, surgiu a nossa amada Igreja Católica (Mt 21, 39-45).

Não é objetivo do Profeta Marcos Tadeu, nem de sua Ordem e muito menos de nós, a Milícia da Paz (formada por todos os fiéis seguidores daquele Santuário) provocar um cisma na Igreja. Nós apenas denunciamos os erros (prerrogativa esta, conferida aos leigos pelo próprio Concílio Vaticano II), lutamos para que a devoção a Nossa Senhora, aos santos e anjos seja colocada em seu devido lugar, e que as suas mensagens, e as dos demais santos, e até as de Deus, seja acolhida como nos tempos Bíblicos, pois acreditamos que se isto não for feito, irá se abater gigantescos cataclismos sobre a Terra, de uma tal magnitude que nunca houve, nem jamais haverá. Acreditamos que esta “palavra de Deus” transmitida nas aparições é o caminho e a única forma de salvar o mundo, e qualquer obra, ou pessoa, que ensine ou faça diferente do que elas dizem, é desprezada por nós. O motivo para isto é muito simples. Desde tempos remotos, as Aparições de Nossa Senhora (inclusive as não aprovadas pela Igreja) vêm dizendo o que aconteceria ao mundo se esta “palavra de Deus” não fosse obedecida. Resultado, tudo o que elas disseram, em um passado remoto, está se cumprindo na atualidade. Então, não há outra conclusão a se fazer, a não ser admitir que elas eram verdadeiras, e que o clero errou. Aliás, o histórico de erro do clero é algo realmente interessante. Basta citar a condenação que pesou durante 20 anos sobre as Santas Aparições de Jesus Misericordioso à Santa Faustina, e não foi por um “bispozinho” qualquer. Foi pelo próprio papa da época. Se não fosse a atuação do então Cardeal Karol Józef Wojtyła, futuro Papa João Paulo II, estas aparições estariam condenadas até os tempos atuais, e, certamente, você seria um grande opositor delas, não é? Infelizmente, como atualmente o número de Cardeais, e clérigos em geral, com este nível de espiritualidade é praticamente nulo... tadinha das aparições... snif. Praticamente nenhum deles entende de Teologia Mística, o estudo apropriado para se avaliar as aparições e estudá-las.

Além do mais, as aparições de La Salette, Lourdes e Fátima, para quem conhece mais a fundo sua história, verá que elas na verdade não foram aceitas pelo clero. Muito pelo contrário, este as combateu com todas as suas forças. Na realidade, o que ocorreu, é que os fiéis praticamente as fizeram descer goela abaixo na garganta do clero, de tal modo, que eles não tiveram outra opção a não ser aprová-las. E, mesmo nestas que foram aprovadas, o estrago que o clero fez é algo incomensurável. Não as divulgou como deveria; se o corpo incorrupto de Santa Bernadete estivesse no Santuário de Lourdes iria converter milhões de fiéis, no entanto está praticamente escondido no convento de Nevers; o corpo incorrupto de Santa Jacinta foi escondido dos fiéis; a esmagadora maioria dos vaticanistas da Itália é de acordo que, até hoje, o terceiro segredo de Fátima não foi revelado em sua integralidade; a consagração da Rússia não foi feita como Nossa Senhora pediu até os dias atuais, etc... E isso, só para citar os danos que me vem à mente neste momento.

No Santuário das Aparições de Jacareí, o Profeta Marcos está resgatando tudo aquilo que a Igreja e a sociedade tanto se esforçaram para extinguir, os escapulários, medalhas, mensagens, enfim, a salvação do mundo que Nossa Senhora nos revelou e ofereceu com tanto amor ao longo de suas aparições na história. Sem dúvida, lá está se cumprido a passagem da Escritura na qual se diz: “Por isso, todo escriba instruído nas coisas do Reino dos céus é comparado a um pai de família que tira de seu tesouro coisas novas e velhas...” Mt 13,52 É uma nova aparição que resgata todas, até as mais antigas. Portanto, se ainda quiserem seguir a doutrina da cabeça deste cara de que não precisamos de aparições, o problema é de vocês. Aliás, se formos pensar bem, porquê Deus, Nossa Senhora os anjos e os santos apareceriam, né? Afinal de contas, nosso mundo está uma verdadeira maravilha, não é? Não temos problemas de droga, prostituição, corrupção, degradação moral, depressão, decadência da Igreja, violência, roubos, assassinatos, guerras, miséria..., todos os sacerdotes são verdadeiros Serafins de santidade, enfim, o Vaticano está dando conta do recado... Só não está apresentando um desempenho melhor devido a um “pequeno” probleminha de tráfico de influência entre os altos clérigos, desvio de verbas do banco do Vaticano, looby gay entre os padres, pedofilia generalizada, um papa progressista e comunista..., mas, afinal de contas, são probleminhas fáceis de serem solucionados, né? É... Em um mundo maravilhoso e em ótimo funcionamento como esse, realmente não entendo o motivo de tantas aparições..."
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

A SANTA MEDALHA DA PAZ

A MEDALHA DO AMANTÍSSIMO CORAÇÃO DE SÃO JOSÉ

A MEDALHA DA ROSA MISTICA

MÍSTICA CIDADE DE DEUS - VOL. 01 - REVELAÇÕES A SOROR MARIA DE JESUS DE AGREDA

MÍSTICA CIDADE DE DEUS - VOL. 02 - VIDA DE NOSSA SENHORA À SOROR MARIA DE JESUS DE AGREDA

LIVROS MISTICA CIDADE DEUS

LIVROS MISTICA CIDADE DEUS
ENTRE EM CONTATO PELOS TELEFONES ACIMA

A VIDA DE SÃO JOSÉ VOL.02 - REVELADA A IRMA MARIA CECÍLIA BAIJI

Santa Hora da Paz nº 5 - para ser rezada todos os dias as 08:00hs da noite

Santa Hora do Espírito Santo nº19 - para ser rezada todas as segundas-feiras as 09:00hs da noite

Santa Hora dos Santos Anjos nº19 - para ser rezada todas as terças-feiras as 09:00hs da noite

Santa Hora dos Santos Nº 36 - para ser rezada todas as quartas-feiras as 09:00hs da noite

TERÇO DA EUCARISTIA MEDITADO Nº 03

- para ser rezado em especial as quintas-feiras as 07:00hs da noite

SANTA HORA DO SAGRADO CORAÇÃO DE JESUS Nº04

para ser rezada todas as sextas-feiras as 09:00hs da noite

SANTA HORA DAS LÁGRIMAS DA MÃE DE DEUS PARA SER REZADA TODOS OS SÁBADOS AS 07:00HS DA NOITE

Santa Hora de São José 38 - para ser rezada todos os domingos as 09:00hs da noite

Follow by Email

Quem sou eu

Minha foto

Acessem www.apparitionstv.com 
Adriana. casada, tenho dois filhos e sou agraciada por fazer parte da família de Maria Santíssima e dos Sagrados Corações Unidos nas Aparições de Jacareí-SP-Brasil ao seu escolhido Marcos Tadeu Teixeira.